Detalhes dos tipos de impressão

Detalhes dos tipos de impressão

A digitalização crescente de documentos e de outros itens necessários para o funcionamento de empresas no formato físico é cada vez menor, pois a tecnologia tem proporcionado outras possibilidades, como a impressão.

Afinal, lidar com eles de modo totalmente digital é muito mais prático e econômico, trazendo benefícios para todas as partes envolvidas.

Por conta da demanda reduzida, cada vez mais estabelecimentos optam por trocar os equipamentos próprios pelo outsourcing de impressão SP, ou em qualquer outra localidade.

Isso, porém, não significa que todos os serviços de impressão sejam inúteis, pois eles também podem ser usados em brindes e na confecção de outros materiais usados no cotidiano de uma empresa.

Por conta disso, é importante que os profissionais que atuam nela conheçam ao menos os princípios dos principais métodos de impressão do mercado, desde aqueles usados em simples cartões de visitas até aqueles empregados para itens mais elaborados, como as placas decorativas. Aprenda mais a respeito deles a seguir:

  1. Impressão 3D

As impressoras 3D conquistaram manchetes na imprensa de todo o mundo nos últimos anos. O motivo por trás disso é o fato de que, como o seu próprio nome diz, elas são capazes de dar origem aos objetos tridimensionais a partir de um projeto elaborado pelo computador.

Na prática, isso significa que a impressão 3d revolucionou o segmento industrial, e continuará fazendo isso nos próximos anos.

Contudo, antes de usar esta tecnologia para fabricar todo e qualquer objeto necessário em seu negócio, é preciso entender que, por mais que ela dispense um molde, ela requer itens de tecnologia avançada.

Da mesma forma, é preciso contar com profissionais qualificados e capacitados para operá-los. Consequentemente, o custo impressão 3d tende a ser mais elevado que os demais.

  1. Impressão offset

Por mais que a tecnologia relacionada à área tenha avançado, os métodos de impressão tradicionais ainda são úteis para determinadas finalidades.

É o caso, por exemplo, do método offset, que é baseado na repulsão natural entre a água e uma substância gordurosa (no caso, a tinta).

Por mais primitivo que ele pareça, ele tem uma importante vantagem em relação aos demais: a qualidade.

Assim, ele costuma ser empregado para fabricar materiais gráficos que precisam ser melhor acabados como as placas de identificação para portas e as versões que servem para dar informações sobre determinado item.

Entretanto, para que isto de fato aconteça, é preciso respeitar as etapas deste método de impressão, ou seja, montar as chapas corretamente.

É preciso ter em mente que, se a impressão for colorida, será necessário unir várias delas, de modo a mesclar os tons primários.

  1. Impressão digital

Felizmente, quando é preciso imprimir apenas materiais simples, cuja qualidade não precisa ser acima da média, é possível contar com métodos mais eficientes, como a impressão digital. Nela, não é necessário usar itens tradicionalmente relacionados ao universo gráfico, tais como:

  • Rolos;

  • Chapas;

  • Moldes;

  • Cilindros.

Neste caso, os bits que compõem o material em questão no programa de computador no qual ele foi montado são suficientes para permitir o processo: eles guiam a montagem das formas e até mesmo as misturas das cores.

Deste modo, só é preciso contar com um computador que funcione adequadamente, uma impressora e um cartucho devidamente carregado.

  1. Tipografia

A impressão tipográfica é um dos métodos gráficos mais antigos de que se tem notícia. Há registros que mostram seu uso desde o século V, na China antiga.

Por conta disso, ele é mais rústico que os demais, pois é possível compará-lo a uma espécie de carimbo, que, quando entra em contato com a tinta e com outra superfície, reproduz as formas de sua superfície.

Trata-se, portanto, do modelo popularizado pela imprensa de Gutenberg, criada na Alemanha em meados do século XV.

Por mais que a tipografia seja perfeitamente adequada para uma série de finalidades, ela tem caído em desuso. Ainda assim, optar por ela ou descartá-la deve ser algo feito com cautela – e, de preferência, com a ajuda de um profissional.

  1. Serigrafia

Outro método de impressão simples, mas que pode ser usado para criar gravuras sobre tecido ou papel, é a serigrafia.

Nela, a tinta é passada para a superfície por meio de uma tela preparada para tal, com a ajuda de um movimento que pode ser feito tanto por uma pessoa quanto por uma máquina. Consequentemente, ele pode tanto ser feito no âmbito doméstico quanto por empresas especializadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *